Mário Portela



Autor, Produtor e Editor do livro de poesia «Argumentando Sentimentos» em 2009, recusa ser escritor. Numa batalha contra os rótulos e a adversidade social, faz apenas o que ama quando quer e quando sente que o mundo lho pede. Não se considera um escritor, mas um contador de histórias. Quem o conhece habitualmente dirá que tudo o que faz tem segundos sentidos, e até terceiros. Conta histórias carregadas de simbologia, onde cada detalhe é pensado ao pormenor… Escreve desde que aprendeu a juntar as letras e hoje publica artigos, ensaios, revistas e cadernos das suas várias valências, que edita por sua conta e risco, acreditando que o que faz chega exactamente a quem tem de chegar…

Pequena Biografia

A riano e de ideias fixas navega contra a corrente e a normalidade. Em 1999 fundou todo o projecto Portugal Místico cujo principal intuito é trazer ao público a capacidade de pensar por si mesmo, sem tradicionalismos, sem superstições, sem ghettos e grupos, sem medo do esotérico.

Criador do Método de Progressão Kriya e da Terapia ReAnimática é um desmistificador por excelência de todas as áreas místicas, holísticas e terapêuticas. Exerce, hoje, o papel de terapeuta e consultor das mais variadas áreas: Programação Neuro-Linguística, Prana Bhakti, Tarot e Tarosofia, Orientação Energética e Psicológica, Numerologia, Terapia Floral, Terapia de Vidas Passadas, entre outras.

«Viver é uma grande lição... Aprendi que não há um só dia em que não aprendamos nada de novo, ainda que não dermos conta disso. Muitas informações novas entram pelos nossos olhos e ouvidos, muitas experiências são vividas, muitas coisas são aprendidas por nós.»

O projecto ORDO nasce de uma necessidade imensa de contar histórias, partilhar conhecimentos, revelar segredos e testemunhas experiências. Mesmo que o leitor conheça apenas as histórias que servem de estrutura ao todo o objectivo será cumprido e até excedido... ainda assim esta é apenas e só a ponta do icebergue.


Nietzsche afirmava que se olharmos para o abismo, o abismo olhará de volta para nós. Ao longo da minha vida aprendi exactamente o quão real é esta afirmação. Tudo está interligado e é a resistência que damos à mudança que provoca a inabilidade de avançar. O que virmos no nosso abismo será exponencialmente aquilo que somos.

Partilhas